Sobre a arte de luta

Uma das características do Choy Lee Fut é a sua grande variedade e quantidade de formas e métodos de treino. Chan Heung, diz-se, passou mais de 20 anos a reunir e a aperfeiçoar as suas habilidades antes de sintetizá-las num sistema coerente. De acordo com os registos guardados no arquivo familiar dos Chan, existem 190 formas registadas. Mesmo que para um atleta treinado seja virtualmente impossível aprender e memorizar todo o conjunto de formas deste sistema, a ideia é precisamente a especialização depois da aprendizagem, e domínio das formas básicas (formas do nível I), com a escolha das mais adequadas à própria morfologia.

No entanto, para impedir que todo este manancial de conhecimentos desaparecesse de uma geração para outra, Chan Heung e os seus descendentes registaram cada umas das 190 formas num Kuen Po “Manual de Trabalho de Punhos”, numa descrição detalhada e exaustiva, que dá a cada movimento um nome e número, orientação espacial, descrição técnica, movimento corporal, trabalho de pernas e algumas aplicações.

Toda esta quantidade de formas e métodos de treino são enquadradas por um conjunto de teorias e conceitos, indispensáveis à compreensão do sistema no seu todo e necessários à percepção da essência do mesmo.

Assim, e já no 1º nível de aprendizagem (com uma duração aproximada de 5 anos), vários conceitos são determinantes no processo de evolução do praticante, sendo de referir que “Cintura, Cavalos e Ombros,” (Yiu Ma Bo) e “Mãos Pa Kwa” (Pa Kwa Sou), sejam nesta fase os mais relevantes.  O primeiro está directamente relacionado com a essência dos próprios movimentos, e a sua correcta interpretação permite a percepção imediata dos conceitos subsequentes,  fluidez e circularidade, que determinam a potência final dos movimentos (potência explosiva). O segundo conceito, relaciona directamente o movimento e a sua organização espacial com a percepção do timing exacto e distância precisa, utilizando para isso, as diferentes orientações e trajectórias das diferentes técnicas entretanto assimiladas. Neste nível, o primeiro tipo de técnicas são conhecidas como Oi Lem Sou ou “mãos externas longas”, reflectindo o género de execução que se pretende, ou seja, técnicas de alcance longo e circular, que juntamente com o trabalho dos “cavalos” (Ma), permite ao praticante de Choy Lee Fut rentabilizar toda a potência gerada por estes, em estreita ligação com a cintura (Yiu) e ombros (Bo), numa efectiva unidade de “todo o corpo num só movimento”.

As formas de punho características deste nível, permitem expressar e desenvolver os conceitos acima descritos, cada uma delas com características e técnicas específicas:

  • Ng Lum Ma (Cavalo de Cinco Rodas)
  • Ng Lum Choi (Punho de Cinco Rodas)
  • Siu Moi Fa Kuen (Pequeno Punho da Flor de Ameixoeira)
  • Siu Sup Dji Kuen (Punho Pequena Cruz)
  • Sup Dji Jit Fu Kuen (Bloco Tigre em Cruz)
  • Peng Kuen (Punho Nivelado)
  • Peng Jang Kuen (Cotovelo Nivelado)
  • Tet Ji Cheung Kuen (Longa Flecha de Ferro)
  • Kung Ji Fook Fu Kuen (Subjugando o Tigre)
  • Sup Ji Kou Da Kuen (Lutando com o Tigre em Forma de Cruz)

Neste nível,  o praticante desenvolve 2 das 4 categorias de luta: Ti (ataques de perna) e Da (ataques de mão) – as outras duas, Shuai (projectar) e Na (agarrar, imobilizar), fazem parte do nível seguinte –  estando estas técnicas incluídas nas formas tradicionais (Kuen, Taolu), acima descritas e em exercícios específicos de trabalho a dois.

No nível seguinte (nível II), a aprendizagem prossegue com os 18 Bonecos Madeira de Shaolin, o estudo aprofundado das mais variadas armas e com a introdução ao sistema Lohan de Chi Kung. O praticante é iniciado nas mãos internas “Noi Lem Sou”, conhecidas também por técnicas de “2ª e 3ª porta”, caracterizadas pela sua curta execução e trajectória, constituídas entre outras, por joelhadas e cotoveladas. Desenvolve neste nível as 2 categorias complementares de luta: Shuai (projectar) e Na (agarrar, imobilizar), com a aprendizagem de um conjunto de técnicas características do sistema e incluídas nas formas deste nível:

  • Sze Mourn Kiu Jo Sarng Ma (Ponte de 4 Portas, Correr o Cavalo Vivo)
  • Sup Baat Lohan Kuen (18 Mãos de Buda)
  • Jor Yol Dan Keuk Kuen (Simples Perna Alternando Esquerda e Direita)
  • Oi Lem Bic Da Soy Sou Ying Yang Kung Kuen (Exercícios Curtos Yin Yang para Luta Curta Rompe Mãos)
  • Dai Pa Kwa Kuen (Punho Longo Pa Kwa)
  • Siu Pa Kwa Kuen (Punho Curto Pa Kwa)
  • Moi Fa Pa Kwa Kuen (Punho Pa Kwa Flor de Ameixoeira)
  • Dat Ting Pa Kwa Kuen (Punho Pa Kwa Harmonia)
  • Yee Jong Pa Kwa Kuen (Punho Pa Kwa Rectidão Forte)
  • Hun Yun Pa Kwa Kuen (Punho Pa Kwa Homem Urso)
  • Dou Fu Pa Kwa Kuen (Lutando Contra o Tigre em Punho Pa Kwa)
  • Ng yin Pa Kwa Kuen (Cinco Animais Pa Kwa)
  • Pa Kwa Sum Kuen (Coração de Pa Kwa)

No nível I, a execução das formas é caracterizada por uma direcção linear, por vezes em cruz. Já no nível II, o treino Pa Kwa permite o trabalho nas “8 Direcções” e nos “3 Planos” (superior, médio e inferior), que quando combinados, possibilita uma grande variedade técnica e alternância de ângulos e direcções. As “10 Sementes” e as “18 Palavras”, consolidam os conhecimentos práticos até então adquiridos, permitindo que, através de palavras chaves, o praticante possa aplicar, a qualquer momento, a técnica mais adequada.

O nível III já só é acessível aos alunos mais antigos e de confiança, que deverão efectuar a cerimónia Bi-Si, para se tornarem discípulos, iniciando assim a aprendizagem nos aspectos mais profundos e pouco conhecidos do Choy Lee Fut. O ensino nesta fase é feito à “porta fechada”, sendo os praticantes denominados de “discípulos de câmara interna”.