Introdução

Wushu é um termo chinês que significa arte marcial ou arte da guerra, que identifica as artes marciais chinesas e disciplinas afins com origem na China. Este é o termo correto para o que no ocidente convencionou-se chamar de Kung Fu (Gong Fu em Cantonês) significando este “virtude ou habilidade, adquirida através de esforço ao longo de um determinado tempo “.

Existem catalogados na China centenas de estilos de Wushu, classificando-se em duas escolas: Waijia ou escola externa, e Neijia ou escola interna. Na primeira incluem-se a maior parte dos estilos de Wushu, alguns originários do templo de Shaolin, outros originários de outros templos como Emeishan, Fukien, Huanshan (os mais conhecidos), bem como diversas regiões um pouco por toda a China; a escola interna está relacionada com o Monte Wudang, centro monástico e marcial que popularizou a prática de sistemas como o Baguazhang (Pa Kua Chang ), Xingyiquan (Hsing-I Chuan) e o Taijiquan (Tai Chi Chuan).

No século XX, e depois de várias tentativas de unificar os mais conhecidos sistemas de Wushu, surgiu uma nova metodologia e abordagem das artes marciais tradicionais, com a criação de um desporto moderno orientado por um lado para o espetáculo e perfomance acrobática dos praticantes e por outro para uma competição desportiva de combate baseada na framework do kick-boxing. Estava formado o Wushu moderno com as suas duas grandes áreas de intervenção:

  1. Tao Lu (consiste em coreografias e técnicas de exibição, preterindo a eficiência real de luta enfocada pelo wushu tradicional, em prol de uma beleza estética e acrobática).
  2. Sanda (sistema de combate desportivo disputado numa plataforma, e no qual são utilizados técnicas de pernas (Ti) técnicas de mãos (Da) projecções (Shuai)).
 Sanda ou Sanshou?

Normalmente utilizam-se os termos Sanshou (散手, sǎnshǒu) ou Sanda (散打, sǎndǎ) de forma indeferenciada para identificar o sistema de combate que se joga em cima de um ringue semelhante ao do boxe que se pratica no ocidente, uma plataforma quadrada sem as cordas que se vê nos ringues das competições no ocidente. Na realidade existe uma diferença entre os dois, de acordo com as suas raízes e objectivos: o Sanshou é originalmente uma arte marcial desenvolvida pelos militares chineses em colaboração com os soviéticos e baseada em estudos intensos dos vários métodos tradicionais de luta chinesa combinados com os desenvolvimentos em medicina desportiva e metodologia moderna, e o Sanda é uma vertente desportiva do Sanshou, praticado como um desporto de combate em cima de uma plataforma, conduzido segundo regras determinadas com vista a preservar a integridade física dos seus praticantes.